Informações sobre os Fatores de Transferência

Transfer Factor / Factor de Transferência

O sistema imunológico é um complexo sistema de órgãos, células e moléculas que interagem para proteger o corpo humano dos diversos invasores externos. A sua saúde depende da capacidade do seu sistema imunitário em reconhecer e destruir esses invasores. O sistema imunitário é uma componente.

Essencial para se manter saudável e sentir-se bem. Se o seu sistema imunitário não possui essa capacidade, o mais certo é que adoeça. E antes de adoeçer sentir-se-à débil e cansado.

Durante anos a indústria alimentar utilizou os benefícios das vitaminas, minerais e outros componetes na sua luta para manter um sistema imunológico forte e atento. Não obstante, recentemente, a ciência descobriu uma molécula que tem a capacidade de educar e treinar o sistema imunitário, algo que não está ao alcançe das vitaminas e outros componentes naturais. Esta molécula milagrosa tem como nome Factor de Transferência.

A vida apresenta muitos riscos e é natural que tentemos encontrar protecção. Defendemo-nos dos intrusos desde o dia em que nascemos com o sistema mais elegante que o homem conhece – o sistema imunitário. É possivél que o seu sistema imunitário esteja a fazer um bom trabalho e que uma parte essencial desse êxito se deva aos Factores de Transferência – informação imunológica que herdámos e que ajuda o corpo a reconhecer e a responder rápidamente aos agentes infecciosos.

Em alguns casos, o nosso sistema imunitário simplesmente não está preparado para fazer frente aos desafios do meio ambiente actual – Contaminação, Quimicos Tóxicos, novas e mais potentes formas de Infecções Bacterianas, Micóticas e Virais. Apesar de todas as drogas que tomamos para destruir essas mesmas infecções, o resultado final não é muito animador – por um lado “mascaramos” uma série de factores relacionados com o problema que tentamos tratar, por outro debilitamos e stressamos sériamente o nosso sistema imunitário, base essencial para uma boa saúde. Estamos em contacto com toda uma nova classe de agentes hostis perante os quais as gerações que nos precederam não estiverão expostas. Para piorar as coisas, o nosso sistema imunitário fica menos eficiente à medida que envelhecemos; Muitos de nós sentem que estão a lutar de forma determinante para nos mantermos saudáveis! Sim, estamos a fazê-lo! Claro que é esgotante travar uma guerra interna contra germes e bactérias com um sistema imunitário que não reune os requisitos. É necessário ajuda. O corpo necessita dos beneficios fundamentais para fortalecer o sistema imunitário que o produto Transfer Factor exclusivo da 4Life possue.

O sistema imunitário proteje o seu corpo de duas formas – de forma institiva e através da informação que vai adquirindo. Por outras palavras, responde às agressões de forma inata e através do que aprendeu pela experiência com invasões passadas. Como algumas defesas passivas do organismo – pele, ácido estomacal e muco, o sistema imunitário contem mecanismos activos de resposta imune que incluêm o estímulo das chamadas células assassinas – células macrófagas ou NK. Actuando como frente de defesa inata, as células NK não necessitam de ser expostas a uma invasão infeciosa para actuar.

Elas simplesmente reconhecem as células estranhas e começam a trabalhar – e podemos “ensiná-las” a trabalhar melhor. Infelizmente, até um sistema imunitário inato forte tem dificuldade em enfrentar toda a variedade de micróbios que o agridem diáriamente. É aqui que entra em cena o sistema imunitário adquirido. Este adopta novas formas de luta e desenvolve novas ferramentas para combater as inúmeras invasões de que é alvo. Mas para que se torne uma defesa real, o sistema imunitário adquirido tem primeiro de reconhecer as ameaças antes de as poder combater. Não se surpreenda se entretanto se sentir mal por uns dias – é o período de tempo até o sistema imunitário adquirido reconhecer e começar a combater o invasor. O bom é que depois desse reconhecimento, o sistema imunitário adquirido irá gravar o tipo de acção que utilizou para combater a invasão, utilizando essa informação para fazer frente a ataques futuros.

Factor de Transferência. Dito de forma simples, os Factores de Transferência são pequenas moléculas que podem transportar informação imunitária de um organismo a outro, com o objectivo de educar as células imunológicas sobre potenciais perigros (presentes e futuros) e estabelecer planos de acção sobre esses mesmos perigros. Apesar de terem como principal função acelerar o reconhecimento do processo infeccioso no organismo, encortando a duração da doença, os Factores de Transferência possuem também a capacidade de reprimir um sistema imunitário hiperactivo. Por outras palavras, os Factores de Transferência têm a capacidade de equilibrar o sistema imunitário, consoante as necessidades reais do organismo – incremento ou redução de actividade imunológica.

New Scientist  “publicou recentemente um estudo que deita por terra o conceito generalizado de que só a violência extrema causa nos bebés o que se conhece por Síndrome do Bébe Sacudido, e questiona as evidências cientificas em que se basearam muitas acusações por morte de bebés. Muitos pais foram processados por homicidio, por supostamente terem sacudido os seus filhos até lhe causarem a morte, mas a ciência sugere agora que as vacinas poderão ser em grande parte desses casos as causadoras da morte do bebé.”

Harold E. Buttram, MD. – “O síndorma do Bebé Sacudido (SBS) é frequentemente descrito como uma combinação de hematoma subdural, hemorragia na retina e lesão axonal difusa. Além destes três indicadores, por vezes existem também fracturas (costelas e outras) e abusos. O que aqui tentamos perceber é se, em certos casos em que os pais ou pessoas que cuidam de recém nascidos são acusados da sua morte através do SBS, a causa real não será outra – uma reação catastrófica e letal às vacinas. Poucos estudos publicados sobre os efeitos das vacinas incluem análises anteriores e posteriores aos parâmetros de imunidade e das funções cerebrais, como electroencefalogramas, e observações sobre a segurança da imunização a longo prazo. Não se dá a importância devida aos efeitos secundários da vacinação multiple simultânea, mesmo em relação à combinação entre químicos tóxicos – a mistura de dois componentes tóxicos aumenta até dez vezes a toxicidade de cada um em separado, e entre três componentes esse aumento chega às cem vezes.”

Viera Scheibner, PhD.  – “Muitas crianças que sofrem do chamado Síndrome do Bébe Sacudido (Shaken Baby Syndrome – SBS) podem ser vitimas de danos não diagnosticados induzidos por vacinas. Desde que se iniciou a vacinação em massa de crianças, relatos de graves danos cerebrais, cardiovasculares, metabólicos e de outras índoles começaram a encher as páginas dos relatórios médicos. A vacina contra a Tosse Convulsa (Pertussis), por exemplo, pode provocar Encefalomielite, doença caracterizada por inflamação e hemorragia cerebral.”

Estudo sobre os Factores de Transferência
William J. Hennen, Ph.D.

Publicado com a autorização de Woodland Publishing© 1998.

Introdução.A nossa saúde é influenciada directamente pelo nosso sistema imunitário. Um sistema imunitário equilibrado e saudável é fundamental para que o corpo tenha a capacidade de defesa perante infecções e outras agressões. “O maior avanço para a saúde humana reside na nossa capaciadade em criar um sistema imunitário saudável.”

Actualmente, muitos são os factores que contribuem para o enfraquecimento geral das defesas naturais do organismo. Os antibióticos falharam perante o avanço de novos vírus e outras formas infecciosas, muito mais resistentes. As doenças avançam muito mais rapidamente do que nunca devido à inoperância dos governos em controlar a saúde pública – deterioração da qualidade da água, péssima qualidade alimentar, globalização de bens e pessoas, etc.

Felizmente, investigações recentes descobriram um agente natural que aumenta a capacidade do organismo em combater as doenças, contribuindo para a melhoria da nossa qualidade de vida. Factor de Transferência é o nome dado a este agente relativamente novo. Podemos encontrá-lo no Colostro (Leite Materno), entre outras fontes, e é um meio natural para fortalecer o nosso sistema imunitário contra as doenças.

Transfer Factor Mejorado – por William J. Hennen, PH.D.

O que é o Factor de Transferência?

Transfer Factor é a descoberta mais emocionante realizada na área da sáude nas últimas décadas. Os Factores de Transferência são pequenas moléculas produzidas pelos organismos com capacidade de transmitir informação imunológica. Têm como missão transferir sinais de reconhecimento imunológico entre as células do sistema imunitário, ajudando dessa forma a educar as células imunológicas recém criadas para o desempenho de suas funções – reconhecimento e destruição de potenciais agressões ao organismo. Um recém nascido, ao se encontrar repentinamente num ambiente hostil e severo, pode ser atacado rapidamente por microorganismos que destruirão essa frágil e nova vida. Para fazer frente a esse perigo, a natureza desenvolveu um mecanismo para educar rápidamente o frágil recém nascido perante a diversidade de microbios que existem no meio ambiente, ajudando-o a fazer a distinção entre quais são os bons e quais são os maus. Antes de dar à luz, o organismo da futura mãe prepara um cocktail de imunizador natural presente no primeiro leite materno (o colostro). Os Fatores de Transferência são uma peça chave deste processo.

O Doutor C. H. Kirkpatrick descobriu que estas moléculas são pequenas peptides de aproximadamente oito resíduos de aminoácidos que se podem combinar para criar bilhiões de diferentes Factores de Transferência. Estas diminutas moléculas contêm unicamente a essência da informação imunológica. Não provocam qualquer tipo de reação adversa e não são direcionados para uma determinada espécie. Assim, os Factores de Transferência produzidos por uma vaca são tão eficazes no ser humano como o seriam numa outra vaca.

Esta emocionante característica pode ser o inicio de uma revolução na medicina e originou a seguinte declaração: “O Factor de Transferência tem um papel muito importante a desempenhar na medicina moderna, a qual, desde o aparecimento da SIDA até ao Ébola, enfrenta o aparecimento de novos vírus e o resurgimento de velhas patologías como a Tuberculose.”

Transfer Factor Plus is 5 times more effective in creating NK cell activity than IP6 – which was the highest of the previously tested group of 196 Nutraceuticals.

 

 

Visão geral do Sistema Imunitário

 

O sistema imunitário é composto por mais de um trilhão de células com um peso total de cerca de 1 kg. Apresenta três propriedades fundamentais:

1 – Possui a capacidade de reconhecer substâncias estranhas ao organismo, como são os vírus, as bactérias e outros parasitas.

2 – Possui a capacidade de reagir específicamente perante as características dos agentes agressores.

3 – Possui a capacidade de reter informação sobre os agentes agressores, utilizando essa mesma informação no combate a futuras ameaças.

Muitos agentes infeciosos sofrem constantes mutações, o que faz com que o nosso sistema imunitário muitas vezes não os reconheça. Esta é a razão porque somos tão vulneráveis a infecções virais como constipações e gripes. Alguns parasitas também se transformam rápidamente para fugir às nossas defesas imunológicas. Devido a este tipo de mutações, muitas vítimas da malária sofrem ciclicamente com os sintomas da doença. Cada mutação que altera a aparência de um vírus ou parasita tem de ser combatida por uma reação imunológica específica.

No seio do sistema imunitário existem duas formas de responder perante substâncias estranhas ao organismo:

1 – Reacção Imunológica Humoral, que incrementa a produção de imunoglobinas, os chamados anticorpos.

2 – Resposta Imunológica Celular, ou imunidade medida por células (IMC). Esta resposta depende da comunicação estabelecida entre os vários tipos de células do sistema imunitário (Linfócitos).

Factor de Transferência e Função Imunitária

 

Para que exista uma boa comunicação entre as células, o sistema imunitário utiliza substâncias similares às hormonas. Os Factores de Transferência são uma dessas substâncias de comunicação imunológica descobertas recentemente.

Uma resposta imunitária não prevista pode demorar entre 10 a 14 dias a apresentar resultados. Esta demora nem sempre é saudável, como pode verificar qualquer um de nós que tenha já lutado contra uma simples constipação durante semanas.

Os Factores de Transferência podem ajudar porque apresentam características de indutor/ajudante (factores de indução) e uma função supresora (factor supresor). O factor indutor é a componente do Factor de Transferência que transfere uma resposta imunológica madura a uma célula imatura. Está comprovado que os Factores de Transferência induzem uma resposta imunológica em menos de 24 horas. Se a resposta imunológica for demasiado activa e agir perante agentes inofensivos como o pólen ou as células do nosso próprio corpo, não é uma resposta saudável. A supresão de reações excessivas ajuda a controlar as alergias e evita doenças autoimunes. Pelas caractarístricas apresentadas, tanto o factor indutor como o factor supresor são parte integrante de uma vasta rede imunoreguladora que mantêm em equilíbrio o nosso sistema imunitário.

O colostro (o primeiro leite materno produzido pelos mamíferos) é uma das mais ricas fontes em Factores de Transferência, onde têm como função transmitir ao sistema imunitário do recém nascido os códigos de reconhecimento que este necessita para identificar e combater os diversos agentes hostis. Num recém nascido a imunidade inicial estabelece-se rápidamente através do acto de amamentar o bébe. Os recém nascidos que não são amamentados apresentam constantemente uma maior susceptibilidade perante infecções e alergias.

As imunoglobinas presentes no colostro podem (e por vezes fazem-no) causar reacções alérgicas noutras espécies. São a fonte da maioria das alergias ao leite de vaca em humanos. Os Factores de Transferência não são alérgicos.

Como era de esperar desde a sua descoberta, foi comprovado que os Factores de Transferência são eficazes quer por administração oral quer por meio intravenoso. Também se provou que a administração oral prolongada de Fatores de Transferência é segura. Os recém nascidos e os idosos estão entre os grupos de risco perante as infecções e outros ataques. A administração por via oral de Factores de Transferência é cómoda e de fácil aceitação por estes grupos etários.


 

A História dos Factores de Transferência

O doutor H. Sherwood Lawrence descobriu que podia transferir uma resposta imunológica de um hospedeiro a um receptor mediante a injecção de um extrato de leucócitos. Postulou-se que o extrato possuia uma substância capaz de transferir a capacidade imunológica entre receptor e dador. Lawrence chamou a esta substância de Factor de Transferência, termo agora usado pela comunidade científica. Foram publicados milhares de estudos científicos sobre as propriedades e utilização dos Factores de Transferência. No inicio, como se estava a estudar uma nova substância, poder-se-ia esperar tudo – desde uma cura milagrosa até ao falhanço total. A promesa dos Factores de Transferência em se afirmarem como uma resposta aos nossos problemas imunológicos era demasiado boa para ser real. Na realidade várias condicionantes se apresentavam perante os cientistas que estavam a explorar as potencialidades dos Factores de Transferência.

Três dessas condicionantes são especiais: 

1 – A sua complexidade. Os extractos de Factor de Transferência contêm mais de 200 Factores de Transferência individuais. Não possuem qualquer padrão químico como os medicamentos standard. Como na natureza, a sinergia criada entre as partes é a chave. A separação dos componentes individuais de um produto natural diminui as suas propriedades e a sua eficácia. Esse perigo pairava sobre os Factores de Transferência. A evidência da especificidade de cada componente pode ser observada na descoberta recente de duas moléculas reguladoras do sistema imunitário (IMREG I e IMREG II). Cada uma possui uma função específica para o equilíbrio do sistema imunitário.

2 – O controlo de qualidade. Este era o segundo obstáculo a vencer. Não existia nenhuma prova de confiança que determinasse a correcta extração dos Factores de Transferência. O problema foi resolvido por Wilson e Fudenberg, a quem se lhes outorgou a patente pela descoberta.

3 – O terceiro problema está directamente relacionado com as barreiras convencionais a vencer quando se introduz um novo conceito ou quando se efectua uma nova descoberta. Os Factores de Transferência simplesmente não encaixam nos padrões da imunologia convencional. Podemos traçar um paralelismo entre a Idade Média e a nossa época. No séc. XIV a Peste Negra matou um quarto da população europeia. Muitas tentativas para combater a praga foram bloqueados devido a inúmeras superstições e crenças convencionais. Do mesmo modo, as investigações sobre os Factores de Transferência foram afectadas pelos dogmas convencionais da imunologia. Ainda hoje este facto impede acentuados progressos em muitas áreas críticas. Num recente simpósio internacional sobre Factores de Transferência, o Dr. D. Viza afirmou o seguinte:

“No final do séc. XX, o triunfo da biología é inquestionável. No entanto, o triunfo da ciência biológica está longe de estar terminado. O número de vidas ceifadas por doenças como o câncer/cancro continua a crescer e a cura da SIDA continua a fugir-nos. No campo da ciência indutiva, o paradigma dominante raras vezes pode ser questionado mediante um ataque frontal, especialmente quando aparentemente atinge resultados positivos. Só as chamadas “revoluções científicas” podem destitui-lo. Não devemos então surpreendermo-nos com a forma algo depreciativa como foram recebidos os Factores de Transferência… a sua suposta forma de actuar contradiz os dogmas da imunologia e da biologia molecular. Quando os factos questionam os dogmas, seja em religião, filosofia ou ciência, têm que ser reprimidos… porque questionam o paradigma dominante. Mas quando os factos estão relacionados com questões mais graves, a sua repressão deveria tomar contornos criminais. Devido ao fracasso da ciência médica em controlar a epidemia de SIDA e uma vez que Transfer Factor foi utilizado com êxito no combate a infecções virais, poder-se-ia utilizá-lo para minimizar os estragos da doença e atingir resultados muito mais satisfatórios. Do mesmo modo que existiam evidências que sugeriam uma solução para a Peste Negra, há hoje indícios claros que indicam uma possível solução para as pragas modernas. O fortalecimento do nosso sistema imunitário é a principal questão de saúde que enfrentamos individualmente (e também como sociedade) hoje nem dia. Os Factores de Transferência irão desempenhar um papel fundamental na manutenção da nossa saúde a médio e longo prazo.”
Existem milhares de complementos que afirmam poder melhorar a sua saúde, mas raramente um produto desperta tanto entusiasmo junto dos profissionais de saúde como o Factor de Transferência de 4Life. Leia o que os médicos dizem sobre o Factor de Transferência.


 

Antecedentes…..

Alguns cientistas acham que a raça humana está em vias de extinção..

Cada substância contaminante causa uma doença específic,, em muitos dos casosaa morte::

AsAs substâncias presentesnono cigarro provocam câncer/cancro pulmonar aos fumadores, mas também está provado que os não fumadores que estão expostos ao fumododo tabaco têm grande possibilidadesdede poder contrairaa doença..

A contaminação ambiental ataca os olhos e o sistema respiratóri,, provoca doenças comoaa bronquite, a, a asma e o efisema pulmona,, para não falardede constipações frequentes que limitamaa actividadeododo ser human..

Nos últimos ano,, devidoàà contaminação ambienta,, surgiram novas doenças viraisee inúmeras doençasdada pele como alergiasee cânce/cancro./cancro..

A radioactividadeee os pesticidas são extremante danososee causam doenças como leucemi,, problemasedede alteraçãododo metabolismo celula,, alteramoo código genéticoee causamaa morte..

A contaminação alimentar causa doençasdodo aparelho digestiv,, intoxicações severasee muitas vezesaa morte..

Muitos são os factores que contribuem paraaa debelidadeasdas defesas naturaisdodo organismo..

Os antibióticos falharam peranteoo avançoedede novos vírusee outras formas infecciosa,, muito mais resistentes. 

Muitos agentes infeciosos sofrem constantes mutações, o que fazcomcom queoo nosso sistema imunitário muitas vezes não os reconheç.. Estaé aé a razão porque somos tão vulneráveisaa infecções virais como constipações e gripes.

Devidoaa este tipodede mutações,, muitas vítimasdada malária sofrem ciclicamentecomcom os sintomasdada doença.. Cada mutação que alteraaa aparênciae umde um vírus ou parasitatem detem de ser combatida por uma reação imunológica específica..

Nutracêuticos  Alimentos Nutracêuticos são alimentos ou parte de um alimento que proporciona benefícios à saúde comprovados cientificamente prevenindo e controlando doença,, além de satisfazer os requerimentos nutricionais tradicionais..

Percentagem comprovada (%) de aumento na actividadedas das Células assasinas sobre uma Linhade Base::

  • Nonii 15%%
  • Aloe Veraa 15%% 
  • Colostro Bovino 23%23%% 
  • Fórmula Cordyceps 28% 28%  
  • CogumeloShitakee 42%% 
  • Equinácea 43%43%% 
  • IP6   49%  
  • Transfer Factorr 103%% 
  • Transfer Factor Advancedd 248%  
  • Transfer Factor Advanced Pluss437%%

 

Transfer Factor Plus é 5Transfer Factor Plus é 5 vezes mais efectivo ao estímular actividade dass célulass NK que o IP6, produto analisado que apresenta o valor mais elevado de um conjunto de 196 Nutracêuticos previamente selecionados..

4Life® Transfer Factor e 4Life® Transfer Factor Plus

4Life® Transfer Factor Plus. O produto Transfer Factor Plus Internacional é uma combinação do cientificamente comprovado Transfer Factor XF da 4Life com outros ingredientes que melhoram a nossa resposta imunitária. Esta fórmula avançada fornece ao corpo mecanismos para este responder rápidamente perante as ameaças ao seu sistema imunitário, mobilizando ao células macrófagas (NK) no combate aos organismos invasores.

Transfer Factor XF é a base do produto Transfer Factor Plus, ao qual se junta Cordyvant – uma combinação exclusiva que fortalece e alimenta o sistema imunitário na sua luta contra os invasores indesejados. A fórmula completa de Transfer Factor Plus Internacional oferece um complemento único e inovador para o fortelecimento do sistema imunitário.

Cordyvant é uma combinação exclusiva de ingredientes conhecidos pela sua capacidade em melhorar a resposta imunitária. Inclui:

  • Cogumelos Maitake y Shiitake – os quais estimulam a actividade das células T e outras macrófagas.  
  • Cordyceps – ricos en polissacáridos, ajudam a activar a resposta imunitária.  
  • Hexafosfato de Inositol – apoio preventivo do sistema imunitário  
  • Beta Glucan – importante estimulante das células imunitárias. São o “despertador” dos glóbulos brancos.  
  • Beta Sitosterol – fitosterol que ajuda a activar a resposta do sistema imunitário.  
  • Extracto de Folhas de Oliveira – atenua o processo de duplicação das células infeciosas.  

4Life® Transfer Factor. Capacidade sem precedentes de Apoio ao Sistema Imunitário. Os factores de transferência são moléculas especias que desempenham um papel fundamental nos primeiros dias da nossa vida. A mãe natureza proporcionou-nos os factores de transferência desde o começo, através do primeiro leite – o colostro. Os factores de Transferência ajudam a que o nosso sistema imunitário reconheça, responda e recorde os invasores que ameaçam a nossa saúde. Ao invés de outros produtos, os factores de transferência modulam o sistema imunitário, reforçando ou atenuando a sua actividade, consoante as necessidades do organismo.

4Life patenteou um processo de extração dos Factores de Transferência a partir do colostro bovino (patente dos EUA n.º 4816563). Através deste processo natural, exclusivo e único, 4Life assegura a mais alta eficácia e qualidade do produto Transfer Factor.

Suportado por mais de 50 anos de investigações e 3000 estudos científicos, médicos e cientistas reconheceram os notáveis benefícios que os factores de transferência possuem para o sistema imunológico. Um estudo independente demonstrou que Transfer Factor de 4Life aumenta a actividade das células macrófagas (células assassinas) em 103%, duas vezes mais que qualquer outro produto previamente estudado.

Transfer Factor de 4Life é efizaz em todas as idades. Para uma vida mais saudável para si e para aqueles que ama, tome diáriamente Transfer Factor de 4Life. Ao fazê-lo está a melhorar a capacidade do seu sistema imunitário em responder aos ataques dos agentes infeciosos, melhorando também a sua qualidade de vida. Transfer Factor de 4Life é para todos nós.

2. Como de descobriram os Factores de Transferência?

Em 1949 H. Sherwood Lawrence trabalhava no problema da Tuberculose. Estava a tentar descobrir se algum dos componentes do sangue de um individuo exposto à Tuberculose e que tenha recuperado podia transmitir algum tipo de sensibilidade à tuberculina num outro individuo. Podia utilizar transfusões sanguíneas, mas só entre pessoas com o mesmo tipo de sangue. Lawrence primeiro separou as células imunológicas do sangue, os Linfócitos ou glóbulos brancos. Depois abriu os Linfócitos e separou o seu conteúdo em várias fracções de tamanhos diferentes, tendo descoberto que uma dessas fracções era composta por pequenas moléculas com a capacidade de transferir a sensibilidade à tuberculina a um receptor inconsciente. A estas pequenas moléculas o doutor Lawrence chamou Factores de Transferência.

3. É o sangue a única fonte de Factores de Transferência?

Inicialmente sim. A meio da década de 1980 dois investigadores desenvolveram a hipótese dos Factores de Tranferência poderem estar presentes no colostro (leite materno). Por esta descoberta atribuiu-se-lhes uma patente em 1989. O colostro é hoje em dia a melhor fonte e Factores de Transferência.

4. O que é o Colostro?

É o primeiro leite que uma mãe produz imediatamente após dar à luz. Uma pessoa necessitaria de consumir aproximadamente 45 gramas de colostro para obter a actividade de Factores de Transferência presentes numa única dose de manutenção diária de Transfer Factor de 4Life (3 cápsulas).

5. O que motivou os cientistas a procurar os Factores de Transferência no Colostro?

Quem já trabalhou com gado sabe que se não permitir a um vitelo amamentar-se da sua progenitora, terá menos hipóteses de sobreviver. Os vitelos morrem mesmo que tenham muita comida à sua disposição, sendo que nestes casos morrem devido a infecções causadas pelos organismos infeciosos mais comuns. Seja qual for a razão, o sistema imunitário desses vitelos não funciona normalmente. Este facto sugere que existe um certo tipo de informação imunológica que é transferida da progenitora ao seu recém nascido. Então a questão lógica é: serão os Factores de Transferência? A resposta é um rotundo SIM!

6. Os Factores de Transferência são isolados a partir do colostro. E que ocorre em relação às alergias ao leite e à intolerância à lactose?

As alergias ao leite são causadas por diversas proteínas lácteas, principalmente pela caseína, e em menor grau pelas imunoglobinas. Estas proteínas são retiradas aos Factores de Transferência.

7. Qual a comparação entre Transfer Factor de 4Life e outros produtos à base de colostro presentes actualmente no mercado?

Estudámos de forma séria o colostro e os ovos hiperimunizados à disposição dos consumidores. São bons produtos, mas devem ser levantadas algumas questões. Em primeiro lugar, a alergia ao leite e a intolerância à lactose são temas abordados anteriormente. Segundo, o problema da imunoglobina e da efecácia dos anticorpos. O uso de anticorpos de espécies cruzadas pode ser eficaz a curto prazo. A sua utilização a longo prazo é ineficaz, pois o receptor desenvolve anticorpos contra o anticorpo estranho ao organismo, pondo em causa a sua eficácia. A terapia com anticorpos é administrada por meio intravenoso, sendo que o consumo oral provoca a degradação ácida do estômago.

8. São os Factores de Transferência benéficos unicamente para os recém nascidos?

Os Factores de Transferencia são bons para qualquer pessoa que necessite de apoio adicional para o seu sistema imunitário. Os três grupos que mais necessitam desse apoio adicional são os jovens, os idosos e qualquer pessoa que se encontre debaixo de grande stress. Quase todos nós nos incluímos dentro de uma destas categorías. Fala-se muito na geração dos “Baby Boomers”. A maioria destas pessoas têm já uma idade em que o sistema imunitário trabalha menos. Os Factores de Transferência constituem uma maneira de fortalecer um sistema imunitário que tenha já começado a degradar-se.

9. Os Factores de Transferência foram validados cientificamente?

Desde que Lawrence os descobriu em 1949 foram publicados mais de 3000 estudos cientificos sobre Factores de Transferência.

10. Com que regularidade devemos tomar Transfer Factor XF?

O nosso organismo cria todos os dias novas células imunitárias que necessitam de instruções. Para fazer face a esta necessidade Transfer Factor XF deve ser utilizado diáriamente, providenciando ao sistema imunitário um suporte contínuo para fazer frente aos novos desafios se saúde contêmporaneos.

11. Que tipo de indicações terapeuticas possuem os Factores de Transferência?

Os factores de transferência são utilizados no tratamento efectivo de doenças bacterianas, micobacterianas, virais, parasitárias e fungais. Os factores de transferência são utilizados no combate ao cancro. Apresentam grandes potencialidades no tratamento da SIDA, o que tem originado estudos e encontros sobre o tema entre a comunidade cientifica.

12. Se os Factores de Transferência são tão eficazes, porque não os explorou ainda a indústria farmacêutica?

Actualmente a indústria farmacêutica está de olhos postos nos factores de transferência. È uma substância que “foge” aos conceitos imunológicos convencionais. Na década de 1950 os antibióticos eram o futuro da medicina, tal como o foram os esteróides na década de 1960 (cortisona e hormonas sintéticas). Na década de 1970 surgiram os factores de tranferência. No entanto os resultados obtidos foram insuficientes. A chave estava no controlo da qualidade do produto. Esse problema resolveu-se a meados dos anos 80.

Ao longo deste processo as companhias farmacêuticas depararam-se com vários problemas na purificação dos factores de transferência sem sacrificar a sua eficácia. Depois surgiram questões ligadas ao financiamento das investigações sobre os factores de transferência – com o surgimento da SIDA, os politicos canalizaram os fundos para tentar encontrar o causa da doença e dessa forma um medicamento para a cura. O trabalho de uns poucos investigadores e a inoperância da industria médico-farmacêutica tradicional colocou novamente os factores de trasnferencia e as suas potencialidades, especialmente no combate a doenças de origem viral, na ordem do dia.

13. Porquê só agora podemos aceder livremente aos Factores de Transferência?

Há duas portas que se abriram recentemente e que permitiram o comércio livre de factores de transferência. Primeiro a aprovação da DSHEA em 1994 (DIETARY SUPPLEMENT HEALTH AND EDUCATION ACT – EUA), que permite informar sobre as propriedades dos factores de transferência como suplemento nutritivo. A segunda razão é técnica. Os factores de transferência surgiram como uma idéia muito adiantada no tempo e houve que esperar para que a tecnología de desenvolvesse. Só recentemente se aperfeiçoaram os métodos de extracção em grande escala, que asseguram igualmente as propriedades do produto.

14. Como funcionam os Factores de Tranferência?

Dito de forma simples, os factores de transferência fortalecem o sistema imunitário. Mas esse facto pode ser utilizado para descrever inúmeros outros produtos e suplementos. Os factores de transferência não são uma entidade individual. São uma mistura complexa de três funções separadas – a INDUTORA, a ANTIGÊNICA ESPECÍFICA e a SUPRESSORA. Uma vez que o nosso sistema imunitário mantêm guerras microbiológicas constantes, há que utilizar uma analogía para explicar estas três funções. A INDUTORA actua como um monitor de treino básico, exigindo ao sistema imunitário que se mantenha em boa forma, mas sem no entanto lhe transmitir informação sobre quem atacar. A função ANTIGÉNICA ESPECÍFICA é como que uma extensa base de dados, onde estão identificadas as características dos diversos agentes patológicos que atacaram o organismo até ao momento. Sobre a função SUPRESSORA podemos compará-la a um general que ordena às suas tropas o regresso a casa, pois a guerra terminou. Sem esta acção podem ocorrer vários tipos de danos, pois se o sistema imunitário não “ordena” o regresso das suas tropas perante um ataque ou reacciona excessivamente, podemos vir a sofrer de doenças autoimunes, como a esclerose múltipla e as alergias.

A grande diferença para outros suplementos está no facto dos factores de transferência serem essencialmente informação imunológica. São de facto informação que educa o sistema imunológico, contribuindo para a sua acção e bom funcionamento. É um conceito completamente novo no campo da imunologia.

15. Transfer Factor foi aprovado pela FDA ?

Os suplementos alimentares e dietéticos não são propriamente aprovados pela FDA (U. S. Food and Drug Administration). Os suplementos alimentares derivados do leite são geralmente reconhecidos como inócuos. (Generally Recognized as Safe, GRAS).

16. Os Factores de Transferencia são inócuos?

Sim. Os investigadores administraram elevadas doses de Factores de Transferência a voluntários com a intenção de estudar possiveis reacções adversas. Não se observaram efeitos secundários negativos, mesmo em doses massivas.

17. O que se passa com as Constipações?

As constipações são doenças virais e os Factores de Transferência são utilizados com maior frequência no combate a problemas virais. Não se realizaram estudos sobre Factores de Transferência e constipações, mas é interessante saber que o alivio dos sintomas das constipações é um efeito positivo em quem toma Transfer Factor.

18. Os Factores de Transferência são seguros para as crianças?

Os factores de transferência presentes no Colostro foram concebidos pela natureza para os recém nascidos. Retirando as substâncias que causam alergias lácteas e a lactose obtemos o essencial – a informação imunológica.

Fonte: http://www.shirleys-wellness-cafe.com